Hiperplasia Prostática Benigna

A  Hiperplasia Benigna ( HBP ) é uma condição comum que ocorre na grande maioria dos homens, geralmente não aparece até os homens atingirem 50 anos. Alguns sintomas incluem: corrente urinária fraca, dificuldade em começar a urinar, problemas para esvaziar a bexiga completamente, necessidade frequente e urgente de urinar, gotejamento de urina e necessidade de parar e começar a urinar várias vezes.

Em alguns casos graves o homem pode não conseguir urinar!

A HBP, a neoplasia benigna mais comum nos homens americanos, é uma condição crônica associada a sintomas progressivos do trato urinário inferior e afeta três em cada quatro homens durante a sétima década de vida, de acordo com a Biblioteca Nacional de Medicina dos Estados Unidos, dos Institutos Nacionais de Saúde.

O risco de HBP aumenta a cada ano após o seu aniversário de 40 anos. Segundo a Fundação do Câncer de Próstata, essa condição está presente em 20% dos homens com 50 anos, 60% nos homens com 60 e 70% entre aqueles com 70 anos ou mais.

A hiperplasia prostática benigna afeta os homens em graus variados e não pode ser evitada. Alguns homens têm sintomas mínimos, enquanto outros têm problemas significativos.

“Os homens pensam que a HBP é um precursor do câncer”, mas não é. Porém se a hiperplasia afetar seu estilo de vida, procure tratamento. Caso contrário, não deixe que eles conversem com você sobre fazer algo por isso.

Uma forma de tratamento é com bloqueadores alfa, que são pílulas que relaxam os músculos da próstata e da bexiga para reduzir o bloqueio e melhorar o fluxo de urina. No entanto, as pílulas não reduzem o tamanho da próstata.

Os pacientes também podem receber inibidores da 5-alfa redutase, que são pílulas que bloqueiam a produção de dihidrotestosterona (DHT), um hormônio masculino que se acumula na próstata e pode causar aumento no volume da próstata. o mesmo. Esses medicamentos aumentam o fluxo urinário e reduzem a próstata.

E por fim, o uso de suplementos naturais também ajuda a diminuir quase todos os sintomas, o  RenovaProst tem sido utilizado por muitos homens devido a sua grande eficiência.

Em casos mais graves um paciente pode sofrer ressecção transuretral da próstata (TURP), uma cirurgia minimamente invasiva em que o excesso de tecido prostático ao redor da uretra é removido. Os riscos podem incluir sangramento profuso, tecido cicatricial e ejaculação retrógrada, quando um homem ejacula e sêmen é jogado na bexiga.

Outra opção é a embolização da artéria prostática (PAE), um novo procedimento para essa condição, que é minimamente invasivo. Pequenas microesferas são inseridas através de uma pequena incisão na região da virilha para interromper parte do suprimento sanguíneo da glândula aumentada.

Os pacientes apresentam redução da próstata e normalização de sua função entre a segunda e a quarta semana, geralmente sem efeitos colaterais. A Food and Drug Administration (FDA) aprovou o procedimento como parte de ensaios clínicos nos Estados Unidos.

O candidato ideal para o PAE é um paciente com próstata aumentada, que não respondeu à medicação, diz o Dr. Shivank Bhatia, radiologista da UHealth – Sistema de Saúde da Universidade de Miami – que executa o procedimento.

As PCEs também podem ser uma alternativa para pacientes que não se qualificam para cirurgia convencional devido a condições de saúde, como insuficiência cardíaca ou doença vascular significativa, diz Bhatia. Virtualmente, não há efeitos colaterais a longo prazo, como disfunção sexual, ejaculação retrógrada ou incontinência.

 

Truques para um cabelo suave e com brilho

Deixe uma resposta

Your email address will not be published / Required fields are marked *